Mais de três anos após sua triunfante estreia na indústria fonográfica, Sam Smith finalmente está de volta à cena musical. O cantor retorna aos destaques com o aguardado lançamento de seu novo single, “Too Good At Goodbyes”, que não apenas faz jus à longa espera mas também garante a almejada liderança da parada britânica, além da quinta colocação nos Estados Unidos.

Enquanto o inglês emplaca sua sexta canção à frente da tabela de singles do Reino Unido — igualando-se a artistas como Queen, Rod Stewart, Britney Spears e Justin Bieber — , o The National chega à primeira colocação da lista de discos pela primeira vez. O novo trabalho de estúdio do grupo, “Sleep Well Beast”, superou os lançamentos de Nothing But Thieves, Neil Young, Sparks e The Waterboys para assumir o topo britânico e o terceiro lugar da parada americana (nessa semana comandada por “Life Changes”, de Thomas Rhett).

Retornando às listas de singles, ambas as tabelas são marcadas pela ascensão de novas músicas de trabalho, como “1–800–273–8255”, sucesso absoluto de Logic em parceria com Alessia Cara e Khalid nos Estados Unidos; e “Havana”, título solo de Camila Cabello com o rapper Young Thug que engrena suas vendas pelo Reino Unido ao assumir um novo pico.

BILLBOARD
ESTADOS UNIDOS

Nada inesperadamente, Taylor Swift estende sua liderança nas vendas de singles pelos Estados Unidos por uma terceira semana consecutiva com o sucesso explosivo de sua mais recente música de trabalho, “Look What You Made Me Do”. Ao todo, a canção somou cerca de 69 mil downloads, 39,9 milhões de streams e 75 milhões de pontos em airplay baseados em suas reproduções nas rádios locais.

Se por um lado a cantora se encontra à frente da tabela por mais uma atualização, em contrapartida a recém-lançada “…Ready For It?” abandona os primeiros lugares da lista após sua estreia na semana passada. A faixa é substituída por “Too Good At Goodbyes”, aguardado single de retorno de Sam Smith que debuta na quinta colocação.

A música é a quinta do britânico a ocupar um dos cinco primeiros degraus da Billboard Hot 100, desempenho este também obtido por canções como “Stay With Me” (que atingiu a segunda posição em 2014), “I’m Not The Only One” (quinta posição também em 2014), “Latch” (faixa produzida e creditada pelo Disclosure que chegou à sétima posição no mesmo ano) e “Lay Me Down” (oitavo lugar em 2015).

Dois postos acima, Logic chega à um novo pico com o crescente sucesso de sua atual música de trabalho, “1–800–273–8255”. A colaboração com Alessia Cara e Khalid, que leva ao seu título a linha telefônica de prevenção ao suicídio americana, sobe duas colocações mobilizada pelas suas audições em plataformas de streaming, que ultrapassaram a marca de 34,2 milhões nessa semana, e suas aproximadas 51 mil vendas digitais.

O ranking por streams, contudo, agora é liderado por “Bodak Yellow”, hit estrondoso de Cardi B em território americano. O último single da rapper registrou 40,2 milhões de execuções nas plataformas contabilizadas pela Nielsen Music, superando os índices de Taylor Swift e mantendo-se na segunda posição.

Confira como são ocupados os dez primeiros lugares da Billboard Hot 100 nessa semana:

1. “Look What You Made Me Do”, Taylor Swift (-)
2. “Bodak Yellow”, Cardi B (-)
3. “1–800–273–8255”, Logic com Alessia Cara e Khalid (5–3)
4. “Despacito”, Luis Fonsi e Daddy Yankee com Justin Bieber (3–4)
5. “Too Good At Goodbyes”, Sam Smith (*)
6. “Wild Thoughts”, DJ Khaled com Rihanna e Bryson Tiller (-)
7. “Unforgettable”, French Montana e Swae Lee (9–7)
8. “Attention”, Charlie Puth (7–8)
9. “Believer”, Imagine Dragons (8–9)
10. “There’s Nothing Holdin’ Me Back”, Shawn Mendes (-)

Pela primeira vez em 2017, o country chega ao topo da Billboard 200. Com o seu mais novo álbum de estúdio, “Life Changes”, Thomas Rhett registrou grandes números comerciais e assumiu a cobiçada liderança da parada americana de discos pela primeira vez em sua carreira.

Superando o desempenho de seus três outros trabalhos, o título reuniu aproximadamente 123 mil unidades vendidas em sua semana de estreia — a terceira melhor para um projeto de country no ano, apesar de ter sido a única a garantir a ponta da tabela — e encerrou um jejum de 11 meses para o gênero, que se via na primeira posição pela última vez em outubro de 2016 com “They Don’t Know”, de Jason Aldean.

O country também é bem representado por dois outros lançamentos entre as dez primeiras colocações. Tratam-se de “Current Mood”, disco inédito de Dustin Lynch que debuta diretamente no sétimo lugar; e “Slowheart”, trabalho mais recente de Kip Moore que aparece no décimo posto da lista.

Com pouco mais da metade dos números de Rhett, o duo de música eletrônica ODESZA estreia seu mais novo álbum de estúdio, “A Moment Apart”, na vice-liderança. As 63 mil cópias comercializadas obtidas pela dupla americana marcam a sua melhor semana de vendas na Billboard 200 —  feito muito maior do que o de seu disco de estreia, “In Return”, que chegou ao 42º lugar em 2014.

Logo abaixo, o The National também assegura uma estreia positiva com o inédito “Sleep Well Beast”. Apesar de não repetir o grande desempenho conquistado no Reino Unido, a banda emerge na terceira colocação com cerca de 62 mil unidades vendidas em todos os formatos, fazendo de seu novo trabalho o terceiro a ocupar a terceira posição na parada americana após “Trouble Will Find Me” e “High Violet” também atingirem tal pico em 2013 e 2010, respectivamente.

Jack Johnson emplaca seu sétimo título entre os dez melhor posicionados. Seu último álbum de estúdio, “All The Light Above It Too”, beneficia-se das vendas conjuntas com os ingressos de sua turnê de divulgação para garantir o quinto lugar da tabela com uma soma total de aproximadamente 44 mil cópias comercializadas.

As dez primeiras colocações da Billboard 200 nessa semana são preenchidas pelos seguintes discos:

1. “Life Changes”, Thomas Rhett (*)
2. “A Moment Apart”, ODESZA (*)
3. “Sleep Well Beast”, The National (*)
4. “Luv Is Rage 2”, Lil Uzi Vert (2–4)
5. “All The Light Above It Too”, Jack Johnson (*)
6. “17”, XXXTENTACION (3–6)
7. “Current Mood”, Dustin Lynch (*)
8. “DAMN.”, Kendrick Lamar (4–8)
9. “American Teen”, Khalid (5–9)
10. “Slowheart”, Kip Moore (*)

OFFICIAL CHARTS
REINO UNIDO

O lançamento de “In The Lonely Hour”, aclamado disco de estreia de Sam Smith que chegou às lojas em 2014, abriu as portas para o sucesso de uma das maiores revelações musicais da cena britânica nos últimos tempos, como foi comprovado com três de seus singles no topo da parada local, além de faixas avulsas e colaborações. Não à toa, o cantor rapidamente passou a ser reverenciado como um dos maiores nomes do pop na atualidade e se tornou uma potência comercial pelo mundo, dois dos fatos que justificam a conquista do Grammy de “Artista Revelação” em 2015.

Afastado por três anos dos grandes destaques da indústria fonográfica, o inglês finalmente está de volta com sua mais nova música de trabalho, “Too Good At Goodbyes”. Recebida com altas expectativas pelo público britânico, a faixa debuta diretamente no topo do Official Charts, desbancando Taylor Swift (que também foi superada por “New Rules”, de Dua Lipa) na liderança da tabela.

Com “Too Good At Goodbyes”, Sam Smith se junta à artistas como Ed Sheeran, Harry Styles, DJ Khaled e a própria Taylor Swift como o sexto nome a estrear diretamente na liderança do Official Charts em 2017

A música, que acumulou 33 mil downloads e 4,4 milhões de streams pelo Reino Unido em sua semana de lançamento, é o sexto single de Sam Smith a assumir a primeira posição da parada britânica, sucedendo hits como “Stay With Me”, “Money On My Mind” e “Writing’s On The Wall”. Com isso, o cantor se iguala à Queen, Rod Stewart, Britney Spears e Justin Bieber na lista de artistas com mais faixas no topo.

Outro grande nome britânico a debutar entre as primeiras colocações é Zayn. Com sua nova parceria com Sia, “Dusk Till Dawn”, o ex-integrante do One Direction emerge no quinto posto da tabela e emplaca sua terceira faixa entre os cinco primeiros degraus da lista, ao mesmo tempo que marca a quarta aparição da australiana em tal região.

Enquanto J Balvin e Demi Lovato abandonam as posições de destaque, Camila Cabello alcança o décimo lugar do Reino Unido pela primeira vez com o sucesso crescente de “Havana”, gravada ao lado do rapper Young Thug. A faixa já é o maior sucesso solo da cantora, superando o desempenho de “Crying In The Club”, “I Have Questions” e “OMG” — que não se posicionaram em nenhumas das 100 colocações da tabela.

Os dez singles de maior destaque na parada britânica são:

1. “Too Good At Goodbyes”, Sam Smith (*)
2. “New Rules”, Dua Lipa (-)
3. “Look What You Made Me Do”, Taylor Swift (1–3)
4. “What About Us”, P!nk (3–4)
5. “Dusk Till Dawn”, Zayn e Sia (*)
6. “Friends”, Justin Bieber e BloodPop (4–6)
7. “Reggaetón Lento”, CNCO e Little Mix (6–7)
8. “More Than Friends”, James Hype e Kelli-Leigh (-)
9. “…Ready For It?”,Taylor Swift (7–9)
10. “Havana”, Camila Cabello e Young Thug (11–10)

Apesar de carregarem uma discografia sólida, o The National ainda não havia chegado ao topo da tabela britânica de álbuns —  na qual havia fincado seu pico na terceira posição com “Troube Will Find Me”, de 2013. Entretanto, o grupo americano de indie rock finalmente superou sua marca pessoal no Reino Unido com o lançamento de seu mais novo trabalho de estúdio, “Sleep Well Beast”, que debuta na liderança.

Com o título, a banda não apenas emplaca seu melhor projeto no Official Charts até então, como também impede uma estreia ainda melhor de “Broken Machine”, do Nothing But Thieves. O disco inédito do quinteto inglês assume o segundo lugar, ultrapassando a colocação registrada pelo seu primeiro trabalho homônimo, que abriu no sétimo posto.

Além de ambos os grupos, três outros lançamentos marcam presença entre as dez primeiras posições da parada. O mais notável deles é de Neil Young, cujo mais novo trabalho de estúdio, “Hitchhiker”, debuta no sexto degrau da lista e se torna seu oitavo título a alcançar a região de destaque britânica.

O canadense ainda se encontra à frente dos também estreantes Sparks, que aparece no sétimo lugar com o inédito “Hippopotamus”, primeiro disco da banda a ocupar uma das dez primeiras colocações em mais de 40 anos; e The Waterboys e seu novo disco, “Out Of All This Blue”, que assume o oitavo posto da tabela.

Acima de todos esses lançamentos, está Rag’n’Bone Man e seu aclamado título de estreia, “Human”. O trabalho, que não abandonou os oito primeiros lugares desde que chegou às lojas em fevereiro, escala para a quarta posição impulsionado pelo crescimento de suas vendas digitais em território britânico, prometendo passar ainda mais semanas entre os primeiros degraus da parada.

Confira como são preenchidas as dez primeiras colocações da última atualização da parada britânica de álbuns:

1. “Sleep Well Beast”, The National (*)
2. “Broken Machine”, Nothing But Thieves (*)
3. “÷”, Ed Sheeran (2–3)
4. “Human”, Rag’n’Bone Man (8–4)
5. “Freedom Child”, The Script (1–5)
6. “Hitchhiker”, Neil Young (*)
7. “Hippopotamus”, Sparks (*)
8. “Out Of All This Blue”, The Waterboys (*)
9. “Villains”, Queens Of The Stone Age (5–9)
10. “Dua Lipa”, Dua Lipa (9–10)


 

Cada vez mais, Post Malone tem se firmado como um dos mais bem-sucedidos rappers nos Estados Unidos. Após o sucesso de “Congratulations”, o novaiorquino deve retornar às posições de destaque com sua nova música de trabalho, “Rockstar”, colaboração com o também ascendente 21 Savage.

O rock também deve aparecer em alta nas próximas atualizações das principais paradas musicais do mundo. Com o principal lançamento da semana, “Concrete And Gold”, é esperado que o Foo Fighters estreie diretamente na liderança, conforme tem registrado números extremamente positivos com o seu já aclamado disco inédito.

Além da banda de Dave Grohl, o trabalho homônimo de estreia do supergrupo Prophets Of Rage, formado por membros do Rage Against The Machine, Audioslave, Public Enemy e Cypress Hill, também deve aparecer entre as primeiras colocações nas tabelas americana e britânica, assim como o Nothing More e o recém-lançado “The Stories We Tell Ourselves”.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.