É uma pena que a gente veja Justin Timberlake tão poucas vezes no Brasil. O cantor finalizou a terceira noite de Rock in Rio (17) com tudo que um verdadeiro show pede: boa performance, atitude e carisma. Sem lançar material novo desde 2013 (com exceção da música “Can’t Stop The Feeling”, feita para o filme “Trolls”, de 2016), Justin mesclou hits como “What Goes Around” e “Mirrors” com músicas menos conhecidas do grande público, como “Drink You Away”. Um fator universal é que ninguém conseguiu ficar parado na apresentação; nem mesmo em músicas mais lentas, como “Until the End of Time”, no qual as cabeças balançavam no ritmo da canção, ao invés das pernas.

Muitos momentos foram marcantes no segundo show solo de Justin no Rock in Rio (ele veio com o N’Sync lá na edição de 2001, enquanto que sua primeira performance em carreira solo foi em 2013). Separamos alguns deles para você curtir e desejar a volta do Príncipe do Pop logo, logo:

Foto: Alexandre Durão/G1

– Justin é um verdadeiro showman. Sua apresentação pode não ser super recheada de efeitos especiais (se bem que a iluminação azul conseguiu ser aconchegante e impactante ao mesmo tempo), mas sua performance é a que realmente importa. Carismático, ele envolve o público sem precisar fazer esforço. “Justin, eu te amo” foi entoado por diversas vezes, assim como a famosa lanterna do celular foi estendida em dados momentos.

– Uma de suas características mais marcantes, a dança, não teve presença forte no show. O cantor não dançou tanto quanto em outras apresentações, mas a gente dá um desconto porque o destaque foi para outro fator: a sua banda de apoio, especialmente aos backing vocals, que acompanharam o artista por quase todo o espetáculo.

– Claro que rolou um momento fofo com os fãs! Justin assinou a bandeira do Brasil de uma fã, e tirou uma selfie com outra que levou um cartaz afirmando que era seu aniversário. “Você está mentindo? Se estiver, o país inteiro vai saber”, brincou o cantor.

– O espetáculo mesclou momentos dançantes com baladinhas mais românticas. Os destaques foram para “My Love”, “Summer Love”, “Cry Me a River”, “Sexy Back” e “What Goes Around”, sendo que, nesta última, o público praticamente cantou a música sozinho em conjunto com os backing vocals. Mas as duas músicas finais, “Can’t Stop the Feeling” e “Mirrors”, levaram o público a uma espécie de catarse: enquanto a primeira foi muito dançante e animada, a segunda provocou emoção e arrepios na plateia – confirmado por uma dupla de amigos que passaram por mim, afirmando que estavam arrepiados com o final.

– Um clichê que a gente ama é artista gringo com bandeira do Brasil; e claro que Justin seguiu o protocolo do melhor jeito possível. No encerramento, ele vestiu a bandeira, e, visivelmente emocionado, agradeceu muito à presença e ao carinho do público brasileiro.

Assista alguns momentos do show de Justin Timberlake no Rock in Rio 2017:

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.