6 de outubro de 2017 por karen Costa.

O Brasil está prestes a receber um novo grande festival. Segundo informações recentes do jornalista José Norberto Flesh, conhecido por antecipar atrações internacionais no país, um evento de 6 dias está quase fechado para 2018. Com os dados, surgiu uma dúvida: “será o Coachella no Brasil?”

Especulações sobre a vinda do Coachella a terras tupiniquins existem desde o ano passado. Na época, o jornal Folha de São Paulo entrou em contato com a assessoria do evento americano, que informou “haver possibilidade do festival ser realizado em outros Estados americanos e em outros países a partir de 2017”.  O Coachella é realizado anualmente na Califórnia, em meio ao deserto.

Com um “novo” nome  – Coachella Classics – o evento seria uma derivação do original, realizado pelos mesmo produtores e em local pouco comum para shows (como o deserto).

Por que pode ser o Coachella?

O Coachella é um mega festival, um dos maiores do mundo, realizado por seis dias (dois fins de semana). Segundo as informações de Flesch, o evento programado para o próximo ano terá esta duração.

Considerando também a “animação” do jornalista, é de se prever que o festival em questão é bastante conhecido.

Fugindo ainda do Rio de Janeiro, que já recebe o Rock In Rio a cada dois anos, o Brasil tem inúmeras opções de locais pouco usuais para espetáculos.

Obviamente, a informação ainda não passa de especulação. O evento previsto deverá ser anunciado no fim de outubro.

Coachella 2018

A versão “oficial” do evento em 2018 já está prevista. Marcado para os dias 13, 14 e 15, e 20, 21 e 22 de abril, o festival já tem Beyoncé confirmada no lineup. A cantora estava prevista para a edição de 2017 do encontro, mas acabou cancelando sua apresentação devido à gravidez de gêmeos.

Festivais no Brasil

O Brasil, ao que parece, se tornará o país dos grandes festivais. Roberto Medina, produtor do Rock In Rio (que aconteceu em setembro deste ano) já anunciou que em 2018 realizará novo evento no país, com outro formato.

Já Anitta, que ficou de fora do RiR 2017 (para estranheza de muitos, uma vez que a cantora tem feito sucesso internacional), também resolveu produzir seu próprio festival de música. O evento deverá ser “democrático” e “sem preconceito com ritmos”, tendo samba, rock, funk, rap e pop no mesmo palco. As informações são do colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.