new-city-colour-album-the-hurry-the-harm-announced

 O anúncio do mais novo álbum do  City and Colour  têm trazido notória repercussão no Brasil. “The Hurry and de Harm” como o próprio Dallas Green intitula o álbum mais honesto dele.

Marcado pela influência folk-indie e o típico country,Green apesar da nacionalidade canadense e pela grande influência de sua ex banda de post-hardcore Alexisonfire, consegue traduzir de maneira genuína sua verdade expressa na música. Há uma grande naturalidade na estrutura do álbum desde o momento de composição até às capturas de estúdio.

The Hurry and The Harm,sucede o disco  Little Hell (2011) que teve como principais singles músicas que fizeram e fazem Green ser conhecido aqui no Brasil.  O principal deles é “Fragile Bird” lançado em 5 de abril do mesmo ano.

A base desse projeto é um folk bastante contagioso, com uma levada de banjo,gaitas e acordes bem parecida com o country americano. Tal influência é notada pela escolha da cidade para a gravação. Tudo feito no Blackbird Studios de Nashville,Tennessee. Com uma voz envolvente, Dallas  tem um timbre grave e ao mesmo tempo sereníssimo que se adequa  perfeitamente  a atmosfera “folkness” do projeto. Além disso, ele está muito acima da média como intérprete e músico, mostrando muitas performances raras e únicas a cada palavra cantada.

Outra coisa encantadora é a incrível sensação emotiva transcrita nos versos das canções.   A música “Of Space and Time”  consegue externar isso de maneira fascinante. Agora a faixa 7 do disco “Thirst”   é a nova música de trabalho. Outra faixa que denota tamanha riqueza de arranjos é “Paradise” que soa com um ar nostálgico. O álbum literalmente é uma ‘viagem de um estado de espírito’.

A evolução artística de  Green é notória diante das letras de superação (vide “Commentators”). “Two Coins” mostra o equilíbrio de uma voz tranquila com a introspecção dedilhada muitas vezes de maneira irônica e ao mesmo tempo otimista. Liricamente Green afirma que “olha para trás, o disco como um todo, de um monte de músicas que lidam com ele à procura de algo e que agora sabe que  escreveu as músicas perto do fim do Alexisonfire. Diz também  “não ter muita fé em si mesmo, por isso é difícil   ter muita fé em algo que  criou”. Modéstia a parte este disco é algo prazeroso de se apreciar.

Dallas sempre soube que queria escrever e cantar, principalmente para si. City and Colour ainda não se apresentou no país, mas essa é uma grande oportunidade de conhecer o trabalho da banda, que infelizmente, ainda, é pouco conhecida aqui. Conhecer esse trabalho que é demasiadamente original seria muitíssimo interessante. Para as pessoas que adoram coisas novas e se aventuram no universo folk e são tremendos apreciadores do romantismo e dos mais variados sentimentos City and Colour é a banda ideal.

Banda:

Dallas Green: voz,violão,guitarra,gaita

Jack Lawrence: baixo

Dante Schwebel: guitarra

Doug MacGregor : bateria

Matt Kelly: pedal steel e teclados

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.