23 de julho de 2014 por Lorrany Farias.

Amy_Winehouse

Hoje é um dia triste, mas não muito diferente de outros desde que Amy Winehouse nos deixou. A lembrança de todos os noticiários há 3 anos atrás, com sua cara estampada em todos os meios de comunicação, ecoa até hoje em nossas memórias. Afinal, Amy não somente será lembrada pela sua voz, mas também, porque assim como outros ícones, nossa pequena mulher agora faz parte daqueles que nos deixaram aos 27 anos.

Amy nunca precisou fingir ser forte, quando na verdade, ela clamava por qualquer outra força que existisse e que não fosse dela. O envolvimento com drogas e álcool não veio somente pelo fato de ser alguém do meio público e viver sob pressão, mas sim porque amava. Como qualquer mero mortal, Amy morreu de ”overdose de amor”.

Apesar de qualquer imagem negativa que passou enquanto viva, Amy nos deixou um legado, e talvez o maior e melhor que pudesse pensar em deixar: sua voz.  Que em meio a altos e baixos entre algumas boas doses de wisky, ainda ecoa por ai. E é por isso, que Winehouse, deveria ter sido o maior nome estampado nos jornais hoje, tal como foi em todos os seus dias de fracasso.

Grandes nomes geralmente são esquecidos ou substituídos por novos. Amy é insubstituível, e diferente de muitos artistas que existem, ela nunca deverá servir de comparação a alguém: Winehouse é única.  A prova disso é que, após três anos dessa perda inconsolável para o mundo da música, seus fãs ainda mostram a ela de forma pura e singela que ela nunca será esquecida.  As homenagens no bairro que vivia em Londres – Camden Town, continuam presentes; seu pai Mitch Winehouse,  com a ajuda do ex marido Blake Fielder,  criou a Fundação Amy Winehouse que ajuda jovens com problemas de vício em drogas.

Grandes outros feitos podem ser encontrados por ai, desde que Amy se foi: sua mãe Janis Winehouse escreveu uma biografia  com conteúdo inédito no qual compartilha sua visão de como sua filha chegou ao estrelato, a batalha contra suas dependências e sua morte prematura. Jean Paul Gaultier, apresentou uma coleção completa, com referências na cantora. Além disso, existem outras e grandes homenagens para Amy, e esse texto é só mais uma.

Com seis prêmios Grammy; dois discos de estúdio, “Frank” (2003) e “Back to Black” (2006), e um póstumo, “Lioness: Hidden Treasures” (2011), fazem com que Amy Winehouse continue sendo uma estrela e referência da música soul no mundo. Pra homenageá-la, uma playlist com os seus maiores sucessos, e claro, as músicas preferidas pro seu grupo enorme de fãs.

You sould be stronger than us, e ter ficado um pouco mais, Amy. Sentimos muito sua falta!

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.